Outras Edições

Em destaque Mundo

Coreia do Norte chama sanções dos EUA de 'provocação' e alerta para forte reação

Especialista no assunto diz que a ditadura coreana usa as sanções como motivo para continuar seu programa nuclear

Crédito: Reuters - 14/01/2022 - Sexta, 10:52h
Seul - A Coreia do Norte defendeu seus testes de mísseis como seu direito legítimo de autodefesa e disse que os Estados Unidos estão intensificando intencionalmente a situação ao impor novas sanções, informou a mídia estatal nesta sexta-feira (14), citando o Ministério das Relações Exteriores.

O recente desenvolvimento da Coreia do Norte de uma "arma de novo tipo" foi apenas parte de seus esforços para modernizar sua capacidade de defesa nacional, e não alvejou nenhum país específico ou prejudicou a segurança de países vizinhos, disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte em comunicado divulgado pela agência de notícias estatal KCNA.

"A acusação dos EUA do exercício legítimo do direito de autodefesa pela RPDC é uma provocação evidente e uma lógica de gângster", disse o comunicado. RPDC são as iniciais do nome oficial da Coreia do Norte.

A declaração alertou para uma "reação mais forte e certa" não especificada se os Estados Unidos adotarem uma postura de confronto.

O governo do presidente dos EUA, Joe Biden, impôs na quarta-feira suas primeiras sobre os programas de armas da Coreia do Norte após uma série de lançamentos de mísseis norte-coreanos, incluindo dois desde a semana passada.

Também pediu ao Conselho de Segurança das Nações Unidas que tome medidas contra vários indivíduos e entidades norte-coreanas acusados de violar as resoluções do conselho de segurança que proíbem o desenvolvimento de mísseis e armas nucleares da Coreia do Norte.

A Coreia do Norte disse que as armas recentes eram "mísseis hipersônicos" que impulsionariam suas forças militares estratégicas.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse que os Estados Unidos deixaram claro que não têm intenção hostil em relação à Coreia do Norte e está disposto a se envolver em negociações sem pré-condições, mas que os testes são "profundamente desestabilizadores".

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte disse que, embora Washington possa falar de diplomacia e diálogo, suas ações mostram que "ainda está absorto em sua política de isolar e sufocar" a Coreia do Norte.

"Os EUA estão intencionalmente aumentando a situação, mesmo com a ativação de sanções independentes, não se contentando em encaminhar a atividade justa da RPDC ao Conselho de Segurança da ONU", disse o comunicado.

Os norte-coreanos chamam isso de "temporada antiamericana", disse Jean Lee, analista da Coreia do Norte do Wilson Center, com sede em Washington.

"Pyongyang aumenta as tensões com um teste ilícito; quando Washington responde com sanções, a Coreia do Norte reúne as pessoas em torno de uma ameaça fabricada", disse ela em um post no Twitter. "Isso dá ao regime justificativa para despejar recursos em seu programa nuclear."


Foto: Reuters
A mídia estatal relatou ser este um teste de míssil hipersônico em um local não revelado na Coreia do Norte, em 11 de janeiro de 2022, nesta foto divulgada em 12 de janeiro de 2022 pela Agência Central de Notícias da Coreia do Norte (KCNA)

Compartilhe
Comentários

1364 vagas disponíveis em todo o Japão

1 ano
26 edições
¥5.980 ienes
ASSINE A
REVISTA
RECEBA SEM SAIR DE CASA
PARTICIPE DE TODAS AS NOSSAS PROMOÇÕES
qr code alternativa
Telefone
050-6860-3660
Fax
03-6383-4019
Nippaku Yuai Co., Ltd.
〒151-0071
Tokyo-to Shibuya-ku Honmachi 1-20-2-203