Outras Edições

Em destaque Japão

Nove meses após fuga do Japão, Ghosn vira professor de negócios no Líbano

Ex-presidente da Nissan vai dar aulas para executivos em uma universidade

Crédito: Reuters - 30/09/2020 - Quarta, 11:02h

Beirute - Carlos Ghosn, o ex-presidente da Nissan e da Renault que fugiu do Japão, onde enfrentava julgamento, está lançando um programa universitário de negócios no Líbano, um país mergulhado em uma profunda crise econômica causada por anos de desgoverno, má gestão e corrupção.

Nove meses após sua fuga dramática de Tóquio para Beirute, o executivo libanês-francês revelou um plano para sacudir a escola de negócios da Université Saint-Esprit de Kaslik (USEK), uma universidade privada ao norte da capital libanesa.

Ghosn, creditado por ter recuperado as montadoras antes de enfrentar acusações no Japão de irregularidades financeiras que ele nega, planeja programas para treinar executivos, oferece treinamento em tecnologia e ajuda start-ups a criar empregos.

Ghosn encontrou refúgio no Líbano, onde a economia está entrando em colapso devido às dívidas acumuladas desde a guerra civil de 1975-1990. Uma explosão devastadora em Beirute em 4 de agosto agravou os problemas do Líbano.

“Obviamente não estou interessado em política, mas dedicarei tempo e esforço para apoiar o Líbano durante este período difícil”, disse ele à Reuters no fim de semana, antes do lançamento formal de seu novo programa universitário.

Na entrevista coletiva de terça-feira para anunciar o programa, ele disse: "Trata-se de criar trabalho, empregos e empresários para permitir que a sociedade assuma seu papel na reconstrução do país."

“Se você trouxer de volta a confiança, o dinheiro virá”, disse Ghosn. “Você pode ter um plano excelente para o Líbano, mas se não o executar, você nem mesmo está no ponto de partida.”

Com base em sua experiência, o foco do programa executivo seria transformar negócios em apuros, corporações lutando com um ambiente conturbado e como “tornar-se inestimável” em uma empresa.

Ghosn disse que vários executivos internacionais concordaram em dar cursos gratuitos, como o presidente-executivo da Jaguar e Land Rover, Thierry Bolloré, o ex-vice-presidente do Goldman Sachs, Ken Curtis, e o capitalista de risco Raymond Debbane.

Os minicursos, com início previsto para março, serão abertos para 15 a 20 executivos seniores no Líbano e no Oriente Médio.

“O modelo é minha experiência, o que eu acho que são as necessidades básicas de um alto executivo em um ambiente muito competitivo”, disse ele, acrescentando que, quando estava no comando, o programa de treinamento de executivos da Nissan no Japão havia sido aberto a outras empresas .

O segundo programa da USEK treinaria pessoas em novas tecnologias, como design assistido por computador e inteligência artificial.

Ghosn disse que os exportadores de joias do Líbano estavam entre aqueles que se beneficiariam com um software para ajudar nos designs.

O terceiro programa funcionaria como incubadora de start-ups. “Estou interessado principalmente em projetos que tenham impacto ambiental”, disse ele, citando o exemplo de uma ideia em transformar esgoto em fertilizante.

Foto: Reuters
Carlos Ghosn, o ex-presidente da Nissan e da Renault
Compartilhe
Comentários

1027 vagas disponíveis em todo o Japão

1 ano
26 edições
¥5.980 ienes
ASSINE A
REVISTA
RECEBA SEM SAIR DE CASA
PARTICIPE DE TODAS AS NOSSAS PROMOÇÕES
qr code alternativa
Telefone
050-6860-3660
Fax
03-6383-4019
Nippaku Yuai Co., Ltd.
〒151-0071
Tokyo-to Shibuya-ku Honmachi 1-20-2-203