Outras Edições

Em destaque Coronavírus

Japão facilitará entrada de visitantes estrangeiros em outubro para revitalizar a economia, diz Suga

Os visitantes que chegarem, porém, deverão obedecer as medidas restritivas de combate ao coronavírus

Crédito: Redação - 26/09/2020 - Sábado, 08:46h
Tóquio - O Japão reabrirá seus aeroportos para a chegada de todos os visitantes estrangeiros com autorização de permanência no país por algum tempo, incluindo estudantes e empresários, mas excluindo turistas, a partir de outubro, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga na sexta-feira (25), em um grande abrandamento das restrições de entrada impostas para enfrentar a pandemia do coronavírus.

“Para revitalizar a economia, é indispensável retomar as viagens internacionais”, disse Suga em reunião de uma força-tarefa do governo sobre a resposta ao coronavírus, que tomou a decisão com a condição de que sejam tomadas medidas suficientes para evitar a propagação do vírus, publicou a Kyodo News. 

Como menos infecções foram relatadas nas últimas semanas, as autoridades locais suspenderam cautelosamente as restrições às atividades sociais e econômicas, com o governo estendendo o apoio às viagens e a outras indústrias afetadas pela pandemia.

O governo decidiu na sexta-feira que as viagens domésticas de e para Tóquio serão incluídas em seu programa de subsídio "Go To Travel" a partir de 1º de outubro. Essas viagens foram excluídas do programa porque a capital marcou o maior número de infecções entre as 47 províncias.

Decidiu também lançar outro programa de subsídios em meados de outubro, no qual serão oferecidos descontos e cupons a quem adquirir ingressos para determinados eventos culturais e de entretenimento.

Ao relaxar as restrições de imigração, o Japão permitirá a entrada de estrangeiros com autorização de permanência de três meses ou mais, incluindo o envolvimento em atividades médicas, culturais e esportivas. Viagens de negócios por menos de três meses também serão permitidas.

Esses viajantes devem ser aceitos por entidades ou organizações capazes de garantir que o teste do vírus seja negativo antes de entrar no Japão. Após a chegada, devem permanecer em isolamento por 14 dias e evitar o uso de transporte público durante esse período.

O governo está considerando limitar o número de entradas para cerca de 1.000 por dia. Ao mesmo tempo, aumentará a capacidade de teste de vírus nos aeroportos, disseram fontes governamentais anteriormente.

"Vamos começar a relaxar as restrições de entrada, observando a situação das infecções em cada país e também considerando o grau de necessidade (para viagens)", disse o ministro da revitalização econômica Yasutoshi Nishimura, que também é responsável pela resposta ao coronavírus em uma conferência de imprensa.

O relaxamento coincide aproximadamente com o início do semestre do outono nas universidades japonesas e vem antes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio, que deveriam ser realizados neste verão, mas foram adiados para o próximo ano devido à pandemia.

O Japão atualmente impõe uma proibição de entrada em 159 países e regiões. Os estrangeiros que estiveram em qualquer uma destas nações 14 dias antes de sua chegada estão sendo recusados, com algumas exceções.

O governo começou gradualmente a reverter suas restrições a viagens. Estrangeiros com status de residente no Japão que viajaram para fora do país podem voltar a entrar a partir de setembro.

Expatriados e outros residentes de longa duração foram autorizados a vir de alguns países asiáticos, incluindo Vietnã e Tailândia. Estudantes estrangeiros com bolsas do governo também podem entrar no país.

O governo disse na sexta-feira que o Japão concordou com Cingapura e Brunei para reabrir mutuamente suas fronteiras para expatriados recém-chegados e outros residentes de longa duração, começando nos dias 7 e 8 de outubro, respectivamente.

Eles serão permitidos com a condição de se isolarem por 14 dias após entrarem nos respectivos países, disse o Ministério das Relações Exteriores japonês.

Os dois países do sudeste asiático se juntarão a outras sete economias, incluindo Vietnã e Tailândia, que fecharam acordos semelhantes com o Japão.

O Japão tem mais de 80.000 infecções por coronavírus com mais de 1.500 mortes, significativamente menos do que países duramente atingidos, como os Estados Unidos, que está perto de 7 milhões de infecções.


Foto: iStockphoto 


Compartilhe
Comentários

1027 vagas disponíveis em todo o Japão

1 ano
26 edições
¥5.980 ienes
ASSINE A
REVISTA
RECEBA SEM SAIR DE CASA
PARTICIPE DE TODAS AS NOSSAS PROMOÇÕES
qr code alternativa
Telefone
050-6860-3660
Fax
03-6383-4019
Nippaku Yuai Co., Ltd.
〒151-0071
Tokyo-to Shibuya-ku Honmachi 1-20-2-203