Outras Edições

Em destaque Brasil

"Ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina", diz Bolsonaro em resposta a seguidora

O governo já destinou verba para a compra de doses da vacina do laboratório AstraZeneca e da Universidade de Oxford

Crédito: Reuters - 01/09/2020 - Terça, 12:55h
Brasília - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (31) que ninguém pode ser obrigado a tomar vacina, em resposta a uma apoiadora que aparentemente pediu que o governo federal proíba a vacinação contra a Covid-19, em meio a uma corrida global por um tratamento para a doença causada pelo novo coronavírus.

"Ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina", disse Bolsonaro na entrada do Palácio da Alvorada no início da noite. 

O comentário veio após uma apoiadora que lhe pediu para não permitir "esse negócio de vacina", afirmando ser perigoso, de acordo com vídeo publicado nas redes sociais.

No início do mês, ao assinar medida provisória que abriu crédito orçamentário de 1,9 bilhão de reais para a compra de 100 milhões de doses e posterior produção local da possível vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo laboratório britânico AstraZeneca e a Universidade de Oxford, Bolsonaro afirmou que a vacinação resolveria o problema provocado pela pandemia.

Mais cedo nesta segunda-feira, o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, visitou a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Rio de Janeiro para acompanhar o cronograma de entrega da vacina. Inicialmente, a Fiocruz será responsável pela finalização das doses a partir de insumos importados, e depois será encarregada da produção nacional.

A previsão do governo é de que as primeiras doses sejam distribuídas a partir do início de 2021. Simultaneamente, o governo de São Paulo trabalha no desenvolvimento de uma outra vacina com a empresa chinesa Sinovac Biotech, que também tem previsão de distribuição no começo do próximo ano.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, afirmou que a fundação está conversando com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para acelerar o processo, dado que o Brasil é o segundo país mais afetado do mundo pela pandemia, com mais de 3,9 milhões de casos confirmados e mais de 121 mil mortes.

"A Fiocruz está mobilizando todos seus recursos tecnológicos e industriais em prol do acesso da população à vacina no menor tempo possível. Estamos conversando com a Anvisa e parceiros tecnológicos com o intuito de reduzir os prazos de produção, registro e distribuição da vacina", disse a presidente da Fiocruz, segundo comunicado do Ministério da Saúde.

Apesar da promessa do governo de iniciar a produção local da vacina a partir de abril de 2021, especialistas ouvidos pela Reuters disseram que dificilmente o cronograma será cumprido, citando dificuldades de um processo complexo de transferência de tecnologia.

Segundo o ministério, o governo vai assinar nesta semana um acordo de encomenda tecnológica com a AstraZeneca, após as partes terem firmado memorando de entendimento no mês passado.

SERVIÇO MÉDICO 

O presidente Jair Bolsonaro esteve no serviço médico do Palácio do Planalto, informou a Secretaria de Comunicação (Secom), sem detalhar os motivos pelos quais o presidente esteve no local.

Após ter cumprido o expediente, o presidente saiu de carro e dirigiu-se para o serviço médico pouco antes das 18h. Pouco antes das 18h30, deixou o local sem falar com os jornalistas.

O serviço fica no anexo da Vice-Presidência da República e jornalistas que esperavam a saída do vice-presidente Hamilton Mourão viram o comboio presidencial de carros e foram verificar o que ocorria.

Em julho, o presidente ficou afastado por semanas após ter sido contaminado por Covid-19. Após estar imune, ele voltou a ter uma rotina de agendas públicas e intensificou viagens.


Foto: Reuters 
Presidente Jair Bolsonaro 

Compartilhe
Comentários

629 vagas disponíveis em todo o Japão

1 ano
26 edições
¥5.980 ienes
ASSINE A
REVISTA
RECEBA SEM SAIR DE CASA
PARTICIPE DE TODAS AS NOSSAS PROMOÇÕES
qr code alternativa
Telefone
050-6860-3660
Fax
03-6383-4019
Nippaku Yuai Co., Ltd.
〒151-0071
Tokyo-to Shibuya-ku Honmachi 1-20-2-203