Outras Edições

Serviços Moradia

10 dicas e cuidados na hora de alugar uma moradia no Japão

É importante ficar de olho na previsão de gastos, relação com a imobiliária e tudo que envolve o imóvel desejado

Crédito: Ana Paula Ramos/Alternativa - 14/05/2017 - Domingo, 11:14h

Tóquio - Quem vive no Japão provavelmente já passou pela experiência de alugar uma moradia, mesmo os brasileiros que, hoje, desfrutam de uma casa própria no arquipélago.

Na hora de escolher onde morar, é normal considerar pontos como o espaço do apartamento ou da casa, a localização e proximidade com o trabalho, o que há nos arredores, preço de aluguel e outros detalhes.

No geral, a maioria das pessoas utiliza sites de imobiliárias para identificar as propriedades disponíveis na cidade onde deseja fazer a mudança. Outra forma de passar por este processo é ir diretamente à imobiliária e então solicitar ao funcionário que procure um imóvel de acordo com os requisitos desejados.

De uma forma ou de outra, o processo da mudança costuma ser trabalhoso e há muitas coisas por trás da tarefa de escolher o local, fazer uma visita e fechar o contrato. Para que não haja arrependimentos nem problemas mais tarde, confira algumas dicas essenciais:

1. Cuidado com a propaganda:

Ao procurar apartamentos em sites de imobiliárias, não acredite em tudo que vê. As imobiliárias utilizam um recurso conhecido como “Otori bukken” (おとり物件) que nada mais é do que a exibição de moradias que não existem ou não estão disponíveis.

O objetivo disto é “pescar” pessoas que estão interessadas em fazer uma mudança, para que elas apareçam pessoalmente na loja e, então, o atendente tem a chance de empurrar algum outro imóvel. Como não cair nessa? Verifique as informações do apartamento em vários sites e pesquise em algum aplicativo de mapas. Se não aparecer a propriedade no mapa, provavelmente o local nem existe.

2. Orçamento de contrato:

Ao visitar a imobiliária, peça um orçamento do gasto para fechar o contrato. O valor pode incluir “shikikin” (敷金), que é um dinheiro que o usuário paga de garantia e recebe de volta ao deixar o apartamento, se não houver danos na propriedade.

Outros gastos incluem o “reikin” (礼金), dinheiro de gratidão ao proprietário, além da taxa de imobiliária (手数料), uma taxa de limpeza (クリーニング代) e o seguro de incêndio (火災保険). É comum que o valor inicial varie entre ¥150 mil e ¥250 mil.

3. Número do apartamento:

Quando gostar de um determinado apartamento, fique atento ao número da propriedade. Anote o número no dia da visita e confira depois se o número é o mesmo no contrato. Há casos de imobiliárias que mostram ao candidato um apartamento bom, mas na hora de fechar o contrato, dão ao cliente outra moradia no mesmo prédio e com problemas nas instalações.

4. Detalhes a considerar:

Coloque na balança todas as vantagens e desvantagens do local desejado. Há ar-condicionado em todos os quartos? Como são os vizinhos? É longe da estação? É uma casa de concreto ou de madeira? Se for um local de madeira, por exemplo, você poderá sentir mais calor no verão e mais frio no inverno, é importante considerar.

Veja também se a propriedade é antiga ou nova e se a estrutura é adequada para aguentar fortes terremotos. Moradias antigas costumam ser mais baratas, mas nem sempre vale a pena investir em uma.

5. Sem receios:

Escolha com cuidado e calma o local da mudança e não assine um contrato se não se sentir seguro para isto. Esclareça dúvidas com o responsável da imobiliária e evite fazer a mudança se houver medos, receios ou preocupações. No caso de problemas com o funcionário, o melhor é procurar outra imobiliária para lidar com o caso.

6. Gastos gerais:

Além do aluguel e do valor de contrato, verifique como será o custo de vida na região escolhida. Há mercados baratos no local? Quanto custa assinar uma internet na casa nova? Tudo irá fazer diferença no fim do mês e por isto é importante é considerar.

7. Fazendo negócio:

No geral, é possível negociar com a imobiliária, principalmente no que se refere ao gasto do contrato e ao aluguel. Se tiver algum ponto negativo na casa nova, peça um desconto no valor mensal. Quanto ao preço de contrato, é possível negociar o reikin (dinheiro de gratidão) e até deixar para pagar a taxa de limpeza no dia que sair da moradia.

8. Dia da visita:

O dia da visita à propriedade provavelmente terá o maior peso na sua decisão. Verifique todos os quartos, a entrada de TV e tomadas nos cômodos, os armários e até a banheira. Não fique constrangido em entrar na banheira para testar, por exemplo, afinal poderá ser a sua casa nova.

9. Sem pressão:

É normal que as imobiliárias pressionem no dia da visita, para que a inscrição de moradia seja feita rapidamente. Você provavelmente irá ouvir o funcionário dizer que é preciso se apressar para não perder o apartamento para outra pessoa.

Nem sempre isto é verdade, evite tomar decisões na pressa, principalmente se não tiver certeza.

10. Sozinho ou acompanhado?

É sempre interessante ir acompanhado à imobiliária. Leve um familiar, um amigo ou alguém que irá morar com você e de preferência uma pessoa que se comunique bem em japonês, caso este não seja o seu caso. Com duas pessoas atentas a todos os detalhes, fica mais fácil descobrir possíveis problemas e tomar a decisão sem arrependimentos.

Foto: iStockphoto
Compartilhe
Comentários
1 ano
26 edições
= 4.500 ienes
ASSINE A
REVISTA
RECEBA SEM SAIR DE CASA
PARTICIPE DE TODAS AS NOSSAS PROMOÇÕES
qr code alternativa
Telefone
050-6860-3660
Fax
03-6383-4019
Nippaku Yuai Co., Ltd.
〒151-0072
Tokyo-to Shibuya-ku Hatagaya 1-8-3
Vort Hatagaya 8F