Outras Edições

Em destaque Japão

Japão vai indenizar 25 mil pessoas que foram impedidas de ter filhos

Vítimas deficientes sofreram esterilização forçada para evitar o nascimento de "descendentes inferiores"

Crédito: Reuters - 24/04/2019 - Quarta, 18:17h

Tóquio - O Japão aprovou nesta quarta-feira (24) uma lei que permite indenizar dezenas de milhares de pessoas que foram esterilizadas, muitas vezes sem o seu consentimento, sob um programa governamental para evitar o nascimento de "descendentes inferiores" que permaneceu em vigor até 1996.

Muitas das vítimas eram física ou cognitivamente deficientes, e outras sofriam de doenças mentais, hanseníase ou simplesmente tinham problemas comportamentais.

A lei promete pagar a cada vítima, muitas delas adolescentes ou mais jovens quando operadas, 3,2 milhões de ienes (29 mil dólares) em indenização. “Refletimos seriamente e pedimos desculpas profundas”, diz o texto da lei.

O projeto foi aprovado por unanimidade pela Câmara Alta do Parlamento, depois de ter passado pela Câmara Baixa.

O primeiro-ministro Shinzo Abe divulgou uma declaração pedindo desculpas e dizendo que todo esforço seria feito para garantir que a sociedade acabe com a discriminação contra os deficientes.

"Durante o período em que a lei estava em vigor, muitas pessoas foram submetidas a operações que os impediram de ter filhos por ter uma deficiência ou outra doença crônica, causando-lhes grande sofrimento", disse ele.

“Como o governo que executou esta lei, depois de profunda reflexão, eu gostaria de me desculpar do fundo do meu coração.”

De acordo com a nova lei, as vítimas têm cinco anos para solicitar uma indenização, sujeita à aprovação de um conselho de especialistas.

A "Lei de Proteção da Eugenia" do Japão entrou em vigor em 1948, quando o país lutava contra a escassez de alimentos e a reconstrução de uma nação devastada pela guerra, e só foi revogada em 1996.

Durante esse tempo, cerca de 25 mil pessoas foram esterilizadas, com pelo menos 16,5 mil não dando consentimento, já que a junta de eugenia podia ordenar se assinasse os procedimentos após uma revisão frequentemente superficial. Poucos registros permanecem disponíveis.

Esterilizações atingiram o pico nas décadas de 1960 e 1970, com a última cirurgia sob a lei realizada em 1993.

Cerca de 20 vítimas em todo o Japão estão processando o governo por indenização e um pedido de desculpas. O primeiro julgamento em um desses casos está previsto para o final de maio.

Embora as leis de eugenia mais notórias tenham sido impostas pela Alemanha nazista, o Japão não é a única nação com programas semelhantes em tempo de paz. A maioria dos outros países revogou suas leis na década de 1970.

Foto: Reprodução/FNN
Vítimas de esterilização forçada exigem indenização e pedido de desculpas do governo japonês
Compartilhe
Comentários

637 vagas disponíveis em todo o Japão

1 ano
26 edições
¥5.000 ienes
ASSINE A
REVISTA
RECEBA SEM SAIR DE CASA
PARTICIPE DE TODAS AS NOSSAS PROMOÇÕES
qr code alternativa
Telefone
050-6860-3660
Fax
03-6383-4019
Nippaku Yuai Co., Ltd.
〒151-0072
Tokyo-to Shibuya-ku Hatagaya 1-8-3
Vort Hatagaya 8F