Outras Edições

Em destaque Mundo

Jovens são presos nos EUA após transmitir agressão ao vivo pelo Facebook

Confira também outros fatos que ocorreram pelo mundo

Crédito: Reuters - 09/01/2017 - Segunda, 11:39h

 

Chicago - Quatro jovens afro-americanos acusados de agredir um rapaz branco de 18 anos foram presos e condenados na última sexta-feira à prisão, sem direito à fiança, por uma juíza de Chicago. O caso de agressão foi transmitido pelo Facebook.


Jordan Hill, Tesfaye Cooper e as irmãs Brittany e Tanishia Covington foram acusados na quinta-feira de sequestro, crime de ódio, retenção ilegal e posse de arma letal, todos com agravantes.


Tanishia Covington tem 24 anos, enquanto sua irmã e os dois jovens têm 18 anos.


Na sexta-feira, juíza Maria Kuriakos Ciesil ordenou que os quatro fossem mantidos presos.


"Estou olhando para cada um de vocês e me perguntando onde estava o senso de decência que cada um deveria ter tido? Não o vejo", disse a juíza Ciesil, de acordo com o Chicago Tribune.


Os quatro são acusados de sequestrar e torturar o jovem, que tinha planejado passar o feriado de Ano Novo com Hill, seu colega da escola.


Parte da tortura foi transmitida pelo serviço ao vivo do Facebook, atraindo choque generalizado.


Em 2 de janeiro, a mãe da vítima, preocupada por não ter notícias do filho, entrou em contato com Hill através de mídias sociais e pediu que seu filho fosse devolvido.


O fato teria irritado Hill, segundo Erin Antonietti, assistente da procuradoria do estado, em uma coletiva de imprensa na sexta-feira.


De acordo com ela, a vítima é esquizofrênica e sofre de transtorno de déficit de atenção.


Ela disse que Hill levou a vítima para um apartamento onde ele foi amarrado, amordaçado, espancado e esfaqueado.


Eles também gritaram obscenidades sobre o presidente eleito Donald Trump e "pessoas brancas".


"A vítima, com medo, gritava 'não' enquanto um deles caminhava até ele com uma faca dizendo: 'Devo esfaquear o traseiro?'", disse Antonietti, citando uma declaração que havia lido no tribunal.


Durante o ataque, Hill contatou a mãe da vítima e exigiu 300 dólares em troca de seu filho, segundo Antonietti.


A polícia encontrou o jovem na terça-feira, após as queixas de vizinhos por barulhos vindos do apartamento.


Ele estava desorientado e usando roupas de frio.


A próxima audiência no tribunal está marcada para 27 de janeiro.


Foto: Reprodução/Facebook
Jovem que foi agredido em transmissão ao vivo pelo Facebook


OUTRAS NOTÍCIAS PELO MUNDO


Caminhão dirigido por palestino avança sobre pedestres e mata 4 em Jerusalém


JERUSALÉM - Um caminhão avançou neste domingo sobre pedestres em uma movimentada avenida em Jerusalém, matando quatro pessoas e ferindo outras 15, de acordo com autoridades policiais e de resgate. A polícia identificou o condutor como um palestino do leste de Jerusalém e informou que ele foi morto a tiros. O ataque tinha como alvo soldados israelenses que desembarcavam de um ônibus na área de Armon Hanatziv. "É um ataque terrorista, um ataque de colisão", disse uma porta-voz da polícia à Radio Israel. A polícia afirmou que os mortos, três mulheres e um homem, tinham todos cerca de 20 anos, mas não forneceu detalhes adicionais sobre as vítimas. Em Israel, as mortes de soldados são divulgadas somente depois que as famílias são notificadas.


--


Exército dos EUA promete intensificar treinamentos na Europa para deter Rússia


BREMERHAVEN - O Exército norte-americano prometeu neste domingo aumentar o alcance e a complexidade de suas atividades de treinamento na Europa para deter agressões por parte da Rússia. "Deixe-me ser claro: Esta é uma parte de nossos esforços para deter a agressão russa, garantir a integridade territorial de nossos aliados e manter uma Europa que é unida, livre, próspera e em paz", disse o tenente-general das Forças Aéreas dos EUA Tim Ray, vice-comandante do Comando Europeu dos EUA, em comentário. Ray sublinhou o "sólido comprometimento dos Estados Unidos com a Europa" no porto alemão de Bremerhaven, na Alemanha, onde chegaram nos últimos dias cerca de 2.800 peças de equipamento militar que serão usadas por cerca de 4 mil tropas operando em Estados membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) próximos à Rússia.


--


Papa diz que não aumentará segurança em viagens internacionais apesar de riscos


CIDADE DO VATICANO - O Papa Francisco disse entender que pode ser alvo de um ataque, mas reforçou que continuará viajando sem veículos a prova de balas ou segurança pesada porque quer ficar próximo das pessoas. Ao contrário de seus antecessores, que usavam papamóveis a prova de balas ou limousines, Francisco usa carros comuns em viagens internacionais, normalmente contrastando com os líderes que o cumprimentam. "Estou ciente dos riscos envolvidos", disse o pontífice na introdução do novo livro do autor italiano Andrea Tornielli. "Talvez eu seja imprudente, mas devo dizer que eu não temo por mim, mas estou sempre preocupado com a segurança daqueles que viajam comigo e acima de tudo das pessoas que eu encontro em vários países. Sempre há um risco de um gesto mais duro por um louco. Mas o Senhor está sempre lá", afirmou.

Compartilhe
Comentários
Shopping
1 ano
26 edições
= 4.500 ienes
ASSINE A
REVISTA
RECEBA SEM SAIR DE CASA
PARTICIPE DE TODAS AS NOSSAS PROMOÇÕES
qr code alternativa
Telefone
050-6860-3660
Fax
03-6383-4019
Nippaku Yuai Co., Ltd.
〒151-0072
Tokyo-to Shibuya-ku Hatagaya 1-8-3
Vort Hatagaya 8F